A marcenaria como recomeço da vida pessoal e profissional

A marcenaria como recomeço da vida pessoal e profissional

Vanessa Almeida, ex-aluna do Leo Social, conta como a marcenaria a ajudou em um momento difícil de sua vida

Na marcenaria, estamos acostumados a construir móveis e objetos diversos que serão utilizados em nosso dia a dia. Mas, a marcenaria vai muito além disso e também se constrói sonhos e recomeços, como é o caso de Vanessa Almeida.

Marceneira, Especialista Google Workspace e Analista de Dados, Vanessa tem 34 anos e é ex-aluna do Leo Social. Ela fez os cursos básico, intermediário e avançado em Marcenaria do Leo em 2017 e conta como chegou até o setor moveleiro.  

Foto: Arquivo pessoal

“Antes da marcenaria eu trabalhei como garçonete, agente de organização escolar, também fazia cat sitter (cuidava dos gatos das pessoas quando elas viajavam)”, lembra.

Vanessa conta ainda como a marcenaria a ajudou a superar um momento difícil em sua vida: “Eu perdi minha mãe em 2015 e meu pai em 2016. Essa perda foi um divisor de águas para mim, eu fiquei bem mal, tive uma depressão profunda e foi um período bastante difícil. A Marcenaria me ajudou a recuperar minha autoestima ao fazer coisas das quais me orgulhava e também me ajudou a ir retomando minha vida financeira, pois com o luto e a depressão, eu fiquei sem emprego. Também fui entrando em contato com um lado bastante criativo meu enquanto fazia as peças e isso me ajudou bastante no processo de tratamento da depressão”. 

Sobre o curso do Leo Social, ela explica que tudo era uma grande novidade e que por isso gostou muito de toda a experiência. “Eu acho que ter aprendido a operar as máquinas foi algo muito legal, eu nunca tinha tido contato e conforme fui aprendendo, fui me sentindo mais segura e satisfeita”, relata.

“Eu aprendi que para trabalhar com madeira a gente precisa ser paciente, detalhista, precisa gostar muito. E aprendi, principalmente, que não importa quanta prática a gente tenha, sempre precisamos respeitar as máquinas perigosas e sermos cuidadosos. Isso eu vou carregar sempre em cada projeto que for executar”, afirma.  

Foto: Mesa que Vanessa adaptou para estudar e trabalhar/Arquivo pessoal

Vanessa explica que a marcenaria foi seu sustento por três anos e meio e que, apesar de já não atuar profissionalmente no setor, desenvolveu projetos para a sua casa. “Eu fiz algumas peças para a minha casa, como uma estante de livros, um porta-chaves, suportes de plantas, nichos e prateleiras para os meus gatos, etc”, conta.

A transição de carreira é um processo assustador, a gente acha que está começando do zero, mas nunca está. É só questão de avaliar e trazer tudo que aprendemos nas nossas outras profissões e estudos para a carreira em que estamos começando”, afirma. 

E foi a marcenaria que a ajudou Vanessa a adaptar o seu espaço para home office. “Desde que comecei a estudar Análise de Dados, em fevereiro desse ano, estou usando uma mesa mais alta do que o ideal pra mim. Então resolvi fazer uma mesa personalizada. As pernas eu fiz com duas janelas que retirei de uma caçamba e o tampo é sobra de outro projeto”, comenta. “A marcenaria e a reutilização de madeira descartada são uma paixão pra mim, eu amo criar essas peças e vou manter como hobby”, exalta.   

Foto: Arquivo pessoal

“Eu gosto demais [da marcenaria], me sinto muito bem fazendo. Gosto da forma que me faz exercitar a criatividade e me desligar de tudo, focando só naquela peça”, exclama Vanessa. No momento ela estuda Análise de Dados e Desenvolvimento, conseguiu um novo trabalho já na área de tecnologia e está mais feliz do que nunca.

“Estou bastante feliz, pois vou ter oportunidades de me desenvolver bastante profissionalmente e estou amando estudar programação e análise de dados”, afirma. “A marcenaria segue como meu hobby, pretendo criar novos móveis para minha futura casa, continuar fazendo coisas que sejam úteis no dia a dia e eventualmente fazer presentes para amigos e parentes, essas coisas”, conta.  

Para ela, a marcenaria significa recomeço. “Significa que eu sou capaz de aprender coisas novas. Significa meu sustento por um bom tempo. E é a marcenaria, essa carreira tão diferente da atual, que vai me proporcionar melhor conforto para estudar e trabalhar.

Muita gratidão ao projeto Leo Social que me acolheu em 2017 e me ensinou essa profissão em um momento difícil como o que eu estava vivendo após perder meus pais. Vou levar pra sempre essa arte comigo!”, conclui.

+ Notícias

Curta e compartilhe!

Facebook
LinkedIn
WhatsApp

A marcenaria como recomeço da vida pessoal e profissional

On Key

Related Posts

Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support